Blog do diretor do filme O milagre de Santa Luzia


Luis Carlos Borges by sergioroizenblit

Luiz Carlos

Os pais e os tios eram gaiteiros e trovadores. Filho mais novo de sete irmãos criaram o grupo Os Irmãos Borges, que durante 30 anos animou festas e bailes. Permaneceu com o grupo durante 20 anos, para depois seguir carreira solo. Em constante intercâmbio com músicos da Argentina, da Colômbia e de outros Países da América Latina, traz esta influência de maneira marcante para a sua música. Com 24 discos, já gravou na Argentina e Europa e fez turnês pelos Estados Unidos e Europa.

Eloisa Elena em O Brasil da Sanfona



Camarão by sergioroizenblit

Camarão

Camarão é um típico representante da música do nordeste, tocando e compondo xotes, pé de serra e frevos, com um toque forte e marcante. No início de sua carreira foi integrante de regionais de rádio, onde tocou de tudo: choros, música clássica e acompanhou artistas diversos. É uma referência rítmica do acordeão nordestino



o começo de tudo by sergioroizenblit
Francisco Jacó e sua mesa

Francisco Jacó e sua mesa

Esse blog, é destinado a levar pro mundo um pouco da experiencia de fazerum road movie com o Dominguinhos. Então eu vou tentar fazer uma espécie de diário a partir das memórias que rolaram durante as filmagens.

O surgimento do titulo do filme.
Eu, a Myriam Taubkin e a fotógrafa Angélica del Nery, saímos pelo Brasil pra preparar material pra série de espetáculos.
Estávamos em Exu, local do nascimento de Luiz Gonzaga.
Estamos eu e a Angélica de carro na estrada, quando vemos um senhor com uma mesa na cabeça.
corta pra um mês antes…
… eu estava em Serrita e comecei a conhecer a história de um vaqueiro mítico no sertão.

Seu nome: Raimundo Jacó.
Sua história: era conhecido como o maior vaqueiro do sertão. Um dia sai com outros vaqueiros e não volta. É descoberto morto, assassinado. O padre da região decide criar em sua homenagem a missa do vaqueiro. O patrono é Luis Gonzaga, primo de Raimundo Jacó, o principal personagem de serrita.

… corta pra estrada novamente, eu e a Angélica e o senhor com a mesa na cabeça e uma mula atrás de nome Bebeto.
Vamos conversar com ele, não consigo compreender quase que nenhuma palavra daquele senhor de cara judiada e quase sem dentes.
Estou desistindo e pergunto seu nome. Francisco Jacó. Pergunto se ele tem algum parentesco com Raimundo Jacó. Ele conta que é filho do Raimundo Jacó. Penso que deve ser um dos muitos filhos e ele conta que é o unico filho. Minha câmera treme, gaguejo. Estou diante do filho do maior mito do sertão, depois de Luiz Gonzaga. Pergunto sobre a mesa na cabeça dele, ele explica que está indo pra sua casa pra preparar uma novena pra Santa Luzia. Não acredito, estou diante do filho de Raimundo Jacó e numa novena de Santa Luzia dia 13 de dezembro, dia do nascimento de Luiz Gonzaga. Gravamos a Novena a noite, linda.
A casa muito humilde, tem uma parede inteira só com imagens de santos e outra parede inteira com fotos do Vasco da Gama.
A novena é uma promessa por um milagre acontecido com seu filho.

Seu nome: Raimundo Jacó.
Santa Luzia, a santa dos olhos, a padroeira dos que trabalham com os olhos, fotógrafos, cineastas.
A cena mesmo antiga e com uma qualidade menor está garantida no meu longa.
Quando fizemos os espetáculos, o show abria sempre com essa novena. o DVD do Brasil da Sanfona , idem. Foi muito bonito aquele evento recheado de coincidencias. Na época nem imaginava que o nome seria O Milagre de Santa Luzia, mas as vezes penso que a Santa sempre soube.